Seguidores

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Incógnitas

Tudo estava bem,
tranquilo e entendido,
quando num repente,
vem aquela pergunta
sempre reprimida...

A resposta pode não
ser a desejada
sequer a pretendida,
mas a necessária...

domingo, 13 de dezembro de 2009

Alta Tensão

Eis que, já ao fim,
é preciso reabastecer
as forças,
as energias,
mais que isso,
imprescindível esquecer
o medo,
as represálias,
as punições...

Necessário se faz
voltar à tona,
ser bravo,
ser forte,
pois os covardes,
jamais vão pra luta...

domingo, 6 de dezembro de 2009

Semana

Há épocas em que os dias
se encontram, e não há intervalo...

Entre um domingo e outro,
apenas alguns cochilos...

E assim, vamos todos:
2009 já era...
2010 bate à porta...

E eu, nem sei que dia é hoje...

sábado, 28 de novembro de 2009


Chuva

O calor do dia
tornou-se
chuva noturna;

o suor virou alegria;

as lembranças são
pura magia...

Reflexões

Há épocas em que desesperadamente se busca algo a que se chama "felicidade". No entanto, quanto mais se idealiza esta sensação, mais distante dela ficamos.

O bom é que o tempo passa, as pessoas crescem e amadurecem emocionalmente (ou não...). Quando se chega, então, a esta maturidade, consegue-se ser feliz de fato.

Neste ponto, todas as dores e sofrimentos vividos são experiências fundamentais - se souber usá-las em benefício da causa, lógico...

Hoje posso dizer, sem medo, que encontrei a felicidade tão sonhada, ao longo de tanto tempo. Melhor de tudo, ela não chegou da forma esperada...

Ser plenamente feliz, hoje, nada tem a ver com a busca de pouco tempo atrás - sempre idealizada...

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

PRISÕES

Algumas algemas ainda me prendem
impedindo a total felicidade...
Isso não é falta de itens materiais
quiçá realizações emocionais...

O único mal que me atinge
e aniquila o eu que sou
é a falta da liberdade...

Quero ser livre, ser eu,
no que faço, no que sinto,
no que gosto,
sem interferências...

sábado, 7 de novembro de 2009

Tudo

Entre o que fui e serei
está o hoje,
entre a tristeza e a alegria,
a felicidade...

Ser é difícil,
não ser, impossível...

Entre acertos e frustrações,
inúmeras expectativas
e o constante progresso
das ideias,
dos ideais,
dos sentimentos,
dos valores...

Entre tudo e o todo,
estou EU...

sábado, 31 de outubro de 2009

AutoAmor

Um novo sentimento foi descoberto
não sei por qual cientista.
É uma sensação diferente
de todas as demais usufruídas
por qualquer humano carente...

Independe de qualquer outro
querer ou abandono
é uma sensação única
que faz do vivente alguém
muito melhor e capaz...

Não existe fórmula química
causadora de tal efeito,
somente um cérebro consegue tal resultado,
quando muito bem alimentado
por vivências inúmeras...

Pouco importa o que passado
desde que se saiba apreender o melhor
de cada situação...

Somente quem se conhece
é capaz de viver a experiência de
AutoAmar-se sempre e cada vez mais...

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Difícil ser Eu

Por que será que nunca estamos satisfeitos?
Se tenho assim, queria de outro jeito
mas, se for do outro, quisera fosse assim...

Ah...como é difícil viver com tanta inconstância...

Tenho uma única certeza :
era muito feliz quando nada queria,
somente ser livre...

Então, que o bom pouco dura e logo
veio alguém dizer que não poderia ser assim...

Para que mudar? Agora eis-me aqui, cheia de
incertezas, receios, esperanças, etc e tal...

Quero de novo nada mais querer
a não ser a tal feliz liberdade....

sábado, 24 de outubro de 2009

PAZ

Eu quero a paz de não precisar pensar;
o sossego de fazer o que desejo.
a ausência de chamados, pedidos e ordens...

Eu desejo ser dona de mim
sem ninguém para me dizer onde andar,
o que fazer, se devo ir...

Cansei de obedecer, a tantos e a todos
quanto desejam que eu os acate;
eu sonho, apenas, com a liberdade em mim...

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

domingo, 18 de outubro de 2009

Renascimento

Como é bom voltar à vida...
Algumas ações levam a lembranças
de que "existe muita vida sendo desperdiçada"

É importante viver, vivenciar diferentes situações
Sentir a realização de viver diferente
mesmo que instantes, apenas...

Por momentos, saí da rotina...
Sinto-me pulsante...
Feliz, viva...
Isso é TUDO!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Coragem

Dias há em que tudo de bom acontece,
fazendo com que se esqueça
o trabalho, as mazelas, a canseira...
Entretanto, outros vêm que só conseguem
fazer maldades, levando embora
a energia positiva da alegria...

Ocorre, então, que é preciso extrair forças
sabe-se lá de onde, para emergir à lama,
sacudir a cabeça, empinar o nariz e dizer:
- Vai para bem longe, aniquilação! Sou mais
forte e não deixarei perder-se a luz
que vem brilhar tão intensamente...

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Anaeróbico

Dias existem em que o tempo é curto demais
ou as atividades demasiado intensas
Sei lá...
Sei que hoje foi um dia desses
nem respirar consegui, durante toda a terça
não houve tempo suficiente para inflar os pulmões,
que dirá ventilar o cérebro...

Sorte que o ego estava inflado
e com ele mantive minha necessidade de ar
estável e "vivível"...
Nossa! até neologismo está brotando,
parece que o tal oxigênio não me é
assim tão indispensável...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Realização

Magnífica a sensação de plenitude
valorização, quem sabe,
vaidade?

Pode até ser o super ego
enaltecido, mesmo assim,
faz bem...

Recuperada a estima,
volto à vida
energizada...

Fim dos conflitos cármicos,
ou somente de um tempo ruim,
não importa...

O que vale é sair do poço
e vislumbrar outra vez
horizontes amplos,
iluminados,
coloridos,
alegres,
felizes...

Caçapava? PRESENTE!!!!

A tarde de sol e calor do domingo, 04/10, levou uma multidão – que se deslocou de todos os pontos do Estado – ao Parque Marinha do Brasil, em Porto Alegre, para prestigiar o Ato Show "Fora Yeda - Impeachment Já", organizado pelo Fórum dos Servidores Públicos Estaduais. As apresentações foram intercaladas com críticas à governadora, indiciada pelo Ministério Público como ré no maior escândalo de corrupção já descoberto no RS: o desvio de mais de R$ 44 milhões do Detran.
Na primeira metade do ato show, o palco recebeu Família Sarará, Mariposas, Pedro Munhoz, Lollypops e Leonardo, ao entardecer, foi a vez de Nelson Coelho de Castro, Nei Lisboa, Nancy Araújo, Eduardo Solari, Bandinha Di Dá Dó, Sombrero Luminoso e Sargento Malagueta, os quais, juntamente com o expressivo público prestaram homenagem à Mercedes Sosa, ícone da música argentina, sempre preocupada com as questões sociais, falecida no domingo.
Os artistas participaram do Ato, gratuitamente, em apoio à causa contra a corrupção, o que demonstra o desejo da sociedade em esclarecer todas as irregularidades que envolvem o Governo do Estado. Durante toda a tarde foram disponibilizadas urnas para que a população participasse da campanha, lançada na última semana, “Julgamento da Governadora – Culpada ou Inocente”, na qual o povo decidirá, através de voto secreto, se Yeda é culpada ou inocente nas acusações feitas, primeiramente pelo FSPE, após pelo Ministério Público e CPI que tramita na Assembleia Legislativa. A votação se estenderá, em todo o Estado, até a próxima quarta-feira, dia 07/10, em urnas ou pelo site www.opovodecide.com.br , criado especialmente para o julgamento.
Pesquisa realizada pelo Ibope, encomendada pelo Grupo RBS, mostra que a maioria dos gaúchos (62%) aprova o impeachment de Yeda, contra apenas 22% que se dizem contrários. Sobre o envolvimento da governadora no desvio de recursos do Detran, 29% entendem verdadeiro e 39% ser mais verdadeiro que falso. Enquanto isso, o governo estadual é reprovado por 64% dos gaúchos e o desempenho pessoal de Yeda é ainda pior: 74%. O desempenho dela é desaprovado por 79% dos porto-alegrenses e por 81% dos moradores dos municípios da região metropolitana. No interior, a reprovação é de 70%.
Como não poderia deixar de ser, Caçapava do Sul disse “Presente!” a esta manifestação cidadã. Juntamente com professores, funcionários públicos e estudantes da região do 17° núcleo do CPERS/Sindicato, a caravana do município contou com vinte participantes, dos quais a metade foi composta por alunos das instituições escolares da cidade. O aluno João Francisco Vargas, 2º ano da EENSA, comentou: “como é bom participar dessas atividades. A partir de agora quero vir sempre.” Outro estudante, João Markos Machado Oliveira, que há tempos participa de protestos na capital, declarou “depois que a gente vem a primeira vez, quer vir sempre. O primeiro ato público que participei foi dia 30 de março e, desde então, todas as vezes que a professora convida eu venho. É muito bom ver que tem gente, como nós, mobilizada na causa cidadã, além da gente entender melhor essas coisas que se ouve ou vê somente nos jornais de TV”, argumentou o aluno do 3° ano, também da EENSA.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Exaustão

Ainda é setembro e os sintomas já estão com força total.
Nem o sol e as flores conseguem animar.
Vontade de fugir, desaparecer, não ver ou ouvir...
Ambientes pesados como há muito não frequentava...

Poucos lugares ou pessoas ainda vivem sua sanidade,
estou encontrando a tênue barreira
entre vida e loucura...

O limite está próximo,
eu exausta...

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Inversão de Valores

Cresci (e isso não faz muito tempo) ouvindo discursos sobre certo e errado, com destaques ao aspecto de que "quem erra, paga". Ou seja, minha educação foi embasada na perda de direitos ao descuidar dos deveres (teorias essas que norteiam a educação dos meus filhos também). Há alguns anos, vi crescer a ideia sobre "direitos humanos". Na minha inocência, acreditei que os mesmos privilegiariam a honestidade. Óbvio que meu delírio não durou muito e logo soube da ênfase do tema em defesa ao ilícito.

Há pouco mais de uma semana, assisti ao término da ficção apresentada no horário nobre da TV, "Caminho das Índias", que entre muitos assuntos, abordou uma determinada família superprotetora do seu "bebê" super, hiper, mega mal educado. Ao menos no final da trama, o rapaz foi "condenado" a aprender limites, cumprindo "pena" numa instituição filantrópica. Não tenho dúvidas de que o cidadão nasceu, realmente, naquele momento, quando o indivíduo ganhou sua liberdade como ser humano, aprendendo a ser gente de verdade.

Na última quarta-feira, por acaso, vi um dos jornais de maior circulação no RS e um dos destaques de capa era a questão da indisciplina escolar. Embora o tema seja bastante recorrente no cotidiano, foi impossível não ficar "abestalhada" com a situação: pais do mundo real, amparados por renomados educadores, recriminaram a professora que "impôs" limites ao vandalismo de um aluno.

Engraçado! Na semana anterior, o mesmo jornal criticava, com veemência, a atitude exagerada de estudantes – em protesto contra a corrupção no governo estadual – que pintaram nas paredes e pisos da Assembleia Legislativa “Fora Yeda!” (Seriam dois pesos e duas medidas???)

Voltando à notícia da indisciplina, o fato de pichar a escola (recém pintada com a ajuda da comunidade) foi irrelevante - segundo os entendidos - diante da punição infligida ao menino de 14 anos, matriculado na 6ª série (parece-me que nos números há indícios de algum problema): limpar o que ele mesmo havia sujado. A atitude da professora - em momento de indignação, até - ao dizer que o referido aluno comportara-se como "bobo da corte" (seria esta uma ofensa imensurável?), tornou-se mais chamativa que a atitude do mesmo.

No entanto, aspectos como a existência de inúmeros rabiscos com o nome do rapaz, anteriores à pintura; assim como a não-colaboração da família no mutirão e, até mesmo, a defasagem idade/série do educando, parecem não ter implicação alguma com a atitude do referido aluno. Pergunto-me: teria esta família já se preocupado com tais questões?

Embora esteja a uma grande distância territorial do ambiente, onde o fato aconteceu, pelos anos que dedico à educação, posso afirmar que estes pontos são indicadores de que o estudante não é muito chegado à escola e seu objetivo maior: a educação.

Tudo isso ocorre ao mesmo tempo em que, em Caçapava do Sul, um menino de 15 anos agride a marteladas um comerciante, levando-o a óbito logo depois. Este aluno, também de 6ª série, deu muito trabalho à escola, que fez inúmeras buscas à família - a qual deu mínima atenção aos chamados da instituição escolar. O resultado? Drogas, roubo e uma família, de bem, destruída cruelmente por um jovem assassino...

Questiono, então: que mundo é este? Onde estão os princípios básicos da vida em sociedade? Errado é quem procura mostrar ao adolescente que é necessário ter responsabilidade sobre seus atos? Até onde lembro, para que o cidadão tenha direitos é fundamental, primeiro, cumprir com seus deveres. Ou estou eu fora de moda e a modernidade atribuiu à sociedade o direito de não mais respeitar o espaço (trabalho) do outro? Antigamente, a liberdade de um ia até o ponto em que não invadisse a do vizinho... mas isso deve ser coisa ultrapassada... Qual é mesmo a função atual da escola? Tenho ouvido, frequentemente, que o professor deve suprir também a falha da família, da sociedade, enfim... Não foi isso o que a professora fez com seu pupilo pichador?

domingo, 27 de setembro de 2009

Inquietação

Perco os sentidos,
o sossego, a paz,
por questões que
sequer são minhas...
Dói a cabeça,
os ombros, o corpo,
sem qualquer explicação...
Fatos cotidianos
tiram-me do chão,
como se fossem
parte de mim...

Sei lá, se bom ou ruim,
importa que as atrocidades
desumanas ainda
me desequilibram...
Sinal que a apatia
não me dominou!

domingo, 20 de setembro de 2009

SONO

Tem horas em que é impossível
manter os olhos abertos...
Talvez seja melhor fechá-los...
Quem sabe um sonho bom possa vir
e, por instantes, ser a realidade...

Quero novas realidades,
novos horizontes,
mais sonhos...

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Educação Pública brasileira na berlinda



No Rio Grande do Sul, há muito se luta contra a desvalorização do ensino público. Com maior vigor, o debate entrou nos lares da classe média gaúcha, a partir de 2007, com a falta de professores, enturmação, redução de recursos, ameaças aos direitos dos educadores, os quais fazem parte do “novo jeito de governar”, implantado por esses pagos com o (des)governo do PSDB.
É de conhecimento geral que o tal “déficit zero” existe apenas nos serviços públicos mais necessários: saúde, educação e segurança – totalmente deficitários em condições de trabalho e atendimento à população que paga seus altos impostos, sem receber os serviços a que tem direito e zero em investimentos. Para 2010, de acordo com a Lei de Diretrizes Orçamentárias já aprovada, haverá redução de verbas na ordem de R$1,2 bilhão para a Educação e R$ 800 milhões para a Saúde. Em contrapartida, gastará, ainda em 2009, R$ 93 milhões em publicidade.
Até aqui, falava-se no problema apenas do RS. Agora as manchetes também trazem à tona queixas semelhantes noutros estados, o que significa que a lógica neoliberal implanta-se por todo o país, com aval do governo federal. São salários defasados e congelados há vários anos, ausência de concursos públicos e aumento na contratação de servidores emergenciais, retirada de direitos dos trabalhadores, redução de verbas, criação de meritocracia, avaliação externa, terceirização e privatização, além da ameaça de demissão, entre outras invenções que objetivam o desmonte do serviço público, ou seja, a inserção do estado mínimo.
A vizinha Santa Catarina enfrenta a falta de concursos públicos e aumento de carga horária, através da alteração da grade curricular, possibilitando o tal cabide de empregos para apadrinhados políticos que pouco se importam com a qualidade dos serviços prestados, além dos salários e recursos congelados há vários anos (governo PMDB/PSDB). No Rio de Janeiro (governo PMDB), os profissionais da educação estão em greve desde o dia 08 último. Os educadores já sofreram a repressão policial (gás lacrimogêneo, balas de borracha e armas de fogo), com o intuito de impedir o protesto por melhores condições de trabalho – e consequentes resultados mais positivos –, além da defesa dos direitos dos trabalhadores – plano de carreira. Somente para mencionar os estados mais populosos e próximos, lembre-se ainda que em São Paulo e Minas Gerais (governados pelo PSDB) não é novidade a constante mobilização de professores e estudantes reivindicando seus direitos.
Enfim, percebe-se que o descaso é tamanho que o movimento estudantil volta a se erguer, a exemplo das décadas de 60 e 90. A juventude mobiliza-se, exigindo respeito por seus direitos, juntamente com os sindicatos e movimentos sociais. Nos desfiles comemorativos ao 7 de Setembro, inúmeras apresentações levaram às ruas os protestos pelo fim da corrupção, seja no governo Yeda/Feijó (RS), seja pelo “Fora Sarney” e o senado federal. Nesta quarta-feira, dia 16, em Porto Alegre, os jovens irão às ruas novamente, engrossando o pedido de impeachment de Yeda Crusius.
São essas ações que corroboram para a necessidade de respeito à educação em todo o país e bom número de jovens brasileiros já entendeu que somente o povo na rua, cobrando dos governantes seus direitos, poderá fazer com que o Brasil deixe de ser o país do “vale-tudo” ou do “jeitinho”. Afinal é a educação de qualidade que forma cidadãos críticos, convictos e éticos. E estes conceitos são, sim, ensinados na escola pública, gratuita e de qualidade.

Eunice Souza Couto – professora estadual, representante do 17º núcleo/CPERS Sindicato, militante da corrente sindical Democracia e Luta
Publicado em JC - Jornal de Caçapava e http://www.democraciaeluta.blogspot.com/
(Nem só de sentimentalismos vive esta mulher...)

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

ENCONTRO

Finalmente encontrei aquele que sempre sonhei, tanto no físico quanto no intelecto.
Ahhh... quantas vezes brinquei, dizendo que meu príncipe era loiro e tinha olhos azuis...
Ninguém acreditava no meu delírio, nem eu... por isso me perdi tantas vezes em aparências tão diferentes.
Mas, como dizem, "quem espera sempre alcança", um dia ele apareceu. Assim, do nada, parou em minha frente, quando eu nem estava ligada... Não posso negar que gelei, tremi, mudei de cor e até hoje ainda perco as palavras quando se aproxima...
O melhor é que qualquer gesto seu me faz levitar... Torno-me a pessoa mais feliz do universo...
Com o tempo, aprende-se muitas coisas, e a mais importante agora é saber que não preciso possuir para amar...
Quero-o demais, mas assim como somos: cada qual com suas vidas. Em alguns momentos, podemos uni-las, mas logo depois devemos retornar aos nossos mundos...
Não quero desencantos desnecessários e a rotina os traz inevitavelmente.
Espero que agora tenha entendido o significado de preservar um amor...
Parece exagero? Talvez... No entanto, sempre que lembro ou vejo, o meu coração explode: Eu te amo! Devo acreditar, pois, até agora, só meu coração e eu o sabíamos...

domingo, 6 de setembro de 2009

LAPSO...

Um dia tudo é felicidade,
o encontro de todos
os sempre desejados...

Outro, uma pequena lembrança,
um deslize e pronto:
lá se foi a fosforescência que,
ainda agorinha,
iluminava todo o ambiente...

Poxa! Quanta indelicadeza!!!
Para quê a perturbação
desses "bichinhos"?
Não perceberam que
estava a metros do chão
ou queriam mesmo
era derrubar???

"Tudo bem" foi a resposta...
Já me desculpei!!!

LIÇÕES

Aprendi que a felicidade
se faz de instantes,
gestos e palavras inesperadas...

Aprendi que a realização de desejos
independe de posses ou convenções...

Aprendi que pré-disposição
pode importar mais que
a própria ação...

Aprendi que querer
é ser mais liberdade
sem arguições ou cerceamentos...

domingo, 30 de agosto de 2009

DESCANSO

É domingo, dia da preguiça...
acorda, levanta, come, dorme novamente,
dá uma volta e... acabou...

Finalmente chega a segunda-feira
e a vida retoma o rumo...
menos tempo para pensar, ruminar...

O agito diário traz energia, prazer,
vontade de produzir...
O descanso semanal faz-se imprescindível,
mas nem sempre é bom...

A tal inutilidade das horas,
deixa uma sensação de torpor,
marasmo, apatia, enfim,
sossego que desassossega a alma...

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

SAUDADE

E agora, o que eu faço com este espaço vazio?
O que eu faço com a falta da tua fala?

Sinto a imensidão de estar só,
por mais rodeada de pessoas que esteja...

Quero tua presença,
quero teu abraço aconchegante,
teu beijo quente,
o olhar disfaçado,
o teu cheiro...

Os dias não passam,
o tempo pára
e a saudade só aumenta...

domingo, 23 de agosto de 2009

OBSESSÃO

Por vezes parece que é excepcionalmente difícil retirar da mente o que está muito vivo no coração. Durante o dia até é possível não pensar ou, ao menos, desviar a rota.
Porém, quando deveria descansar, lá vem ele... e invade os sonhos. Pior que a invasão, é que nem assim se torna mais simples e age como eu gostaria...
Saio, vou a diferentes lugares, vejo inúmeras pessoas... nenhuma interessa... nada chama a atenção... somente o mesmo pensamento, sempre batendo, ali, sempre presente... quase uma tortura...
As questões que permanecem:
Por que não posso ter o que tanto quero?
Por que mexer com quem estava tão bem no seu silêncio?
Por que é sempre tão difícil?
Responda-me, por favor!!!!

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

REFLEXÃO

O tempo passa
e com ele as ideias mudam...
Ficam os ideais...

Ações simples,
que durante anos
encontraram obstáculos,
tornam-se simples,
quando chega ao fim
a busca...

Seria simples se tudo
na vida seguisse o mesmo ritmo...

Talvez, para isso, seja necessário
pensar menos em alguns pontos,
provavelmente seria mais fácil
encontrar o que se procura

E, como fazê-lo???

domingo, 16 de agosto de 2009

Poema no Ônibus

O encontro foi inesperado, num ônibus, pelas ruas da capital. Sabíamos que nossos destinos logo se separariam e dificilmente nos cruzaríamos outra vez, fiz o registro e o trouxe para o meu canto. Afinal, era impossível perder a oportunidade de registrar aquele momento único...

O autor (mestre) é de um dos meus preferidos, afinal, fui seduzida pelo famoso "o poeta é um fingidor, finge tão completamente, que chega a pensar que é dor a dor que deveras sente".

Jamais saberei o que ele diria das "minhas falsas dores e desilusões", assim mesmo, o colocarei para conviver com meus "Pensamentos, Palavras e Omissões" até porque é o tema de agosto...

sábado, 8 de agosto de 2009

LIMPEZA

A chuva cai forte e intensa como sentimentos...

Poderia dizer que o som da correnteza
lava minha alma,
mas por quê? Tenho a alma limpa...

Sensação de paz, silêncio inexistente,
luzes desejadas, pensamentos soltos...

Há alegria no ar... límpida, refrescante,
provavelmente, renovada...

O sabor acre da uva,
intensifica a sensação de paz...

Sou feliz e isso é o que me resta...

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

LIBERDADE

Vem, me dá a mão,
para que possamos voar,
como duas pipas
alegres e coloridas,
pela liberdade azul
da primavera.....

TRANSCENDÊNCIA

Tempos atrás, falava sobre o vento no cabelo e a energia que isso proporcionava. Chegamos até a concluir que este era um fator preponderante na felicidade familiar, afinal nós todos sentíamos a alegria da brisa, quiçá sua liberdade... Dias vão e vêm sem que se possa pensar muitas vezes sobre estes temas óbvios, talvez... No entanto, na última quarta-feira, ao sentir o vento norte bater em mim, recobrei a tal alegria do descabelamento...
Interessante que não era momento para alegrias, esperanças e afins: havia perdido a ilusão de uma paixão que vislumbrava (após longo período de jejum), retirava pontos de incisões cirúrgicas e, para completar, extraía um dente siso, enfim, sentia dor física e emocional. Adversamente, a alegria veio lá do meu epicentro. Senti aquele ar mais forte direto no rosto, e um sopro dele me invadiu, ventilando uma nova vida... um êxtase sem razão objetiva... vontade de inovar em coisas simples, comuns... desejo de vestir diferente, de ser, de viver algo mais estimulante...
Enfim, os motivos pouco importam; interessa mesmo é a vontade de ser melhor, estar feliz sem nenhuma razão nova e o modelito (ah, mas que vestido!) escolhido, idealizado e encontrado para SER o mulherão no qual me transformei - sem dúvida, muito mais feminina. Ótimo é o gostar de mim mesma do jeito que sou e até dar-me conta de quando não ajo corretamente; é admirar minha inteligência lógica quando necessito manter-me firme, em vez de cair em lágrimas; o bom humor para não ver a vida tornar-se uma cruz; e não viver me penitenciando pelos erros cometidos, pelas oportunidades perdidas, enfim, por tudo que poderia ser mas não é...
E assim, este agosto de 2009, ainda no seu início, pode marcar um novo tempo em meu viver. Se algo mudará ou não após aquela rajada de vento norte, não sei, mas desejo à personalidade que começou a tomar forma naquele momento, que seja muito, enorme, infinitamente FELIZ e capaz de transcender aos percalços da vida diária, sem se deixar abalar demasiadamente pelo que é fugaz...

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

TRILHA SONORA

Jamais me chamei "Camila" ou me apaixonei por um "Astronauta de Mármore"... Se, "De repente 1983" fosse, em nada mudaria minha vida...

Nenhum de Nós, definitivamente, não "Faz parte do meu Show" nem mesmo soprou em qualquer "Vento no Litoral" como Barão Vermelho, Cazuza, Blitz, Legião Urbana e suas dezenas de recordações e lágrimas...

Mesmo assim, ouvir Teddy Correa e banda foi uma das melhores coisas dos últimos tempos, embora o braço imobilizado e o receio de algum empurrão de um fã mais enlouquecido.

A energia da banda, a emoção da plateia de idades variadas e todas aquelas músicas que lembram a juventude dos que hoje tem mais de 30, fazem a gente ser feliz e lembrar que a vida é bela e que arte e bom gosto existem e não têm idade.


Enquanto houver Nenhum de Nós, Engenheiros do Hawaii, Titãs, Capital Inicial e tantas outras boas bandas de música brasileira, o mundo ainda terá solução...

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Só para constar...

Mais um mês chega ao fim
sem muito a dizer,
embora férias, o destino
foi o repouso do lar...

Sem emoções,
sequer alegrias ou tristezas,
apenas um mês que se vai...

domingo, 19 de julho de 2009

RACIONALIDADE

Agora, tudo é silêncio...
Não quero mais pensar,
fazer planos, idealizar...
Calei minha voz,
e retornei ao centro do
eu...
Chega de tanta emoção...
Romances são para os fracos...

domingo, 12 de julho de 2009

Vida politicamente correta...

Não há nada que me deixe mais frustrada
do que pedir sorvete de sobremesa,
contar os minutos até ele chegar
e aí ver o garçom colocar na minha frente
uma bolinha minúscula do meu sorvete preferido.
Uma só.

Quanto mais sofisticado o restaurante,
menor a porção da sobremesa.
Aí a vontade que dá é depassar numa loja de
conveniência, comprar um litro de sorvete bem
cremoso e saborear em casa com direito a repetir
quantas vezes a gente quiser,
sem pensar em calorias, boas maneiras ou moderação.

O sorvete é só um exemplo do que tem sido nosso
cotidiano.

A vida anda cheia de meias porções,
de prazeres meia-boca,
de aventuras pela metade.
A gente sai pra jantar, mas come pouco.
Vai à festa de casamento,
mas resiste aos bombons.
Conquista a chamada liberdade sexual,
mas tem que fingir que é difícil
(a imensa maioria das mulheres
continua com pavor de ser rotulada de 'fácil').

Adora tomar um banho demorado,
mas se contém para não desperdiçar os recursos
do planeta.

Quer beijar aquele cara 20 anos mais novo,
mas tem medo de fazer papel ridículo.

Tem vontade de ficar em casa vendo um DVD,
esparramada no sofá, mas se obriga a ir malhar.
E por aí vai.


Tantos deveres,
tanta preocupação em 'acertar',
tanto empenho em passar na vida sem pegar
recuperação...

Aí a vida vai ficando sem tempero,
politicamente correta
e existencialmente sem-graça,
enquanto a gente vai ficando
melancolicamente sem tesão...

Às vezes dá vontade de fazer tudo 'errado'.
Deixar de lado a régua,
o compasso,
a bússola,
a balança
e os 10 mandamentos.

Ser ridícula, inadequada, incoerente
e não estar nem aí pro que dizem e o que pensam
a nosso respeito.

Recusar prazeres incompletos e meias porções.

Até Santo Agostinho, que foi santo, uma vez se rebelou
e disse uma frase mais ou menos assim:
'Deus, dai-me continência e castidade, mas não agora'...

Nós, que não aspiramos à santidade e estamos
aqui de passagem,
podemos (devemos?) desejar
várias bolas de sorvete,
bombons de muitos sabores,
vários beijos bem dados,
a água batendo sem pressa no corpo,
o coração saciado.

Um dia a gente cria juízo.
Um dia.
Não tem que ser agora.

Por isso, garçom, por favor, me traga: cinco bolas de sorvete de chocolate,
um sofá pra eu ver 10 episódios do 'Law and Order',
uma caixa de trufas bem macias
e o Richard Gere, nú,
embrulhado para presente.
OK?
Não necessariamente nessa ordem.

Depois a gente vê como é que faz para consertar
o estrago . . .


Danuza Leão

ADEUS

Se tudo terminar agora,
talvez leve comigo
algumas dores:

os sentimentos não vividos,
as alegrias que não tive,
as ofensas sem motivo,
o amor que não troquei...

levarei também
o olhar azul hipnótico,
aquele primeiro beijo inesquecível,
algumas palavras,
alguns delírios...

Fora isso,
não é má ideia
terminar agora...
o que vier após,
em algum momento
a eternidade poderá contar,
afinal, não faço mesmo
a vida que desejei ter

Até um dia...

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Curto circuito

Por vezes a razão foge,
deixando-me
totalmente órfã...
Porém, do nada,
do mesmo jeito
que partiu, retorna
como se jamais
houvesse se ausentado...
Ao voltar, ergue-me
do abismo,
trazendo novamente
a luz, antes apagada,
e a cura do
coração encircuitado...

sábado, 4 de julho de 2009

MATURIDADE

Hoje sei que busco
viver novamente emoções.
Sei o que quero
com menores ilusões.

Sonho, sim, viver um novo amor,
não igual aos filmes ou contos,
mas um sentimento real
que permita ser quem eu sou
e não aprisione o outro...

Também não me venham
com delimitações temporais;
quero a eternidade dos momentos
e a intensidade do "enquanto".

sexta-feira, 3 de julho de 2009

RECEITA

O amor que eu quero
é preparado assim:
a alegria da felicidade
misturada suavemente
à doçura da companhia,
recheado de cumplicidade
com cobertura sabor
LIBERDADE.

INCOERÊNCIA

Há coisas difíceis
de entender,
em especial as
regras do bem-viver:

deve-se buscar
a felicidade,
e jamais revelar
quando encontrá-la...

CONFISSÕES

É bom outra vez sentir
a emoção embalar,
a vontade de ir
em busca daquele mar
que pode ser o refresco,
mas também pode afogar...

Sem medo, corro o risco
de outra vez AMAR!

sábado, 20 de junho de 2009

ETERNIDADE

Não sabia,
ao menos
havia esquecido,
que felicidade
pode doer...
É uma dor diferente
por desejar a eternidade.
Quisera eu congelar
aquele momento,
para sempre
reviver tal magia...

domingo, 14 de junho de 2009

SOSSEGO

Mesmo no olho do furacão,
por vezes,
encontra-se a paz...

Possibilidades existem,
também,
de nem em sono profundo,
existir o descanso...

Férias devem ser reparadoras,
entretanto, o retorno ao trabalho
pode ser ainda melhor...

Ufa!!! acabou o feriado!!!

segunda-feira, 8 de junho de 2009

AUSÊNCIA

Hoje acordei com saudade,
de chamar "amor",
de abraço,
beijos,
mãos dadas,
um chamego,
olhar cúmplice,
o riso do nada ou
silêncio que fala,
enfim,
saudade de ser
...
M U L H E R

sábado, 6 de junho de 2009

ESTAÇÕES

Primeiro veio o frio,
- e umas esperanças quentes -;
depois, a chuva;
finalmente, o inverno chegou.

O sol retornou - sem a função de aquecer -
com a temperatura baixa,
o vento castiga pele, cabelos
e não deixa ilusões...

Entretanto, o coração descansa em paz,
igual ao céu azul e limpo dessas tardes iluminadas...
Não há angústia, nem tristeza,
também nenhum afago ou alegria.

Sei que está ali, batendo, vibrando,
aguardando um momento,
mas está quieto...
É ótimo senti-lo vivo,
mas sua brandura não é ruim...

Mantenha-se sereno, my heart,
mesmo que às vésperas
desta data nostálgica para os ímpares...

Estamos sós, o coração e eu, esperando
docemente nossa sonhada companhia...
O amor deve ser calmo e elegante
por ser nobre...
Pois, não existe pressa
quando o sentimento é vivo...

sexta-feira, 29 de maio de 2009

ESPERANÇA

Era outono ainda
quando o inverno se fez...
o céu era cinzento,
o frio cruel,
e o vento gemia furioso...

Lá dentro,
um imenso sol despertava,
as cores renasciam
e um calor diferente aquecia...

Na verdade,
nascia uma primavera,
florida e perfumada,
dentro de mim...

quinta-feira, 28 de maio de 2009

ANTÍTESES

calma x apatia

paixão x descaso

sonho x realidade

tranquilidade x desânimo

desejo x frieza

Assim é a vida neste outono...

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Domínio

Ah, como eu queria
dominar os sentimentos,
ser senhora do pensar...

No entanto, por vezes,
perco a razão
e me deixo levar
pela sensação...

Então, apaixonou-se?
Não! Vivo encantada,
respiro porque sou
eterna apaixonada...

domingo, 17 de maio de 2009

Delírios

Queria
o homem...
Tenho
o companheiro...
Sejamos, então,
COLEGAS!!!

Sentimento

Adoraria poder
dizer-te o que sinto...
Porém,
como não devo,
mencionarei
o que posso:
- Lamento
não aceitares
o sentimento...

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Desejos

Se soubesse como começou,
talvez entendesse onde estou...

Não sei!
E, também, não importam motivos,
se valem as emoções...

Sair do sério,
perder o senso,
deixar-se levar
ou ir por puro prazer...
E, depois de tudo,
ser demasiado feliz
(por saber-se viva)
é o sinal de que
tudo vale a pena...
Que mais poderia eu querer???

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Dilemas

Pra que sentir,
se é melhor raciocinar?

Por que emoção,
se tão necessária é a razão?

Pra que físico,
se importa a essência?

Por que tantos conceitos, regras, ética,
se é preciso desobedecê-los?

Ah! como é difícil ser......

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Indagações (Ir)racionais

Tem coisas que me parecem
jamais poder entendê-las...

se calo, peco por nada dizer,
se falo, a infração é pelo expor-me...

Saberia alguém explicar
como se deve agir?

O que é certo?
Eu? Os outros?
Quem sabe ninguém???

Vai ver, não existe certo
ou errado...
quem sabe nem razão
é um fato...

Assim, o melhor é
fazer o que tenho vontade:
por vezes, uma ostra em sua concha,
outras, um pavão e sua cauda multicor...

Como vão dizer
ou pensar,
não é problema meu...

A mim importa ser
quem eu sou...
de preferência,
FELIZ!!!

terça-feira, 5 de maio de 2009

(Des)Alienação

Era novembro quando o azul daquele olhar colou no meu,
igual ao adesivo que trazia nas mãos.
E a imagem ficou tatuada na lembrança.
O tempo não parou, nem o desejo de aproximar um pouco mais...

No entanto, era difícil, não havia assunto (?) e,
só de pensar, o rubor tomava conta da face.
Sonhos, delírios e pensamentos me conduziam, sempre,

de volta ao mesmo olhar

Novos reencontros, conversas, sorrisos (ah! o sorriso...)


e um aceno a mais para imprimir maior poder à ilusão.
Alguns desencontros, farpas, críticas, sorrisos e olhares depois
e o devaneio concretizou-se...
Todas as sensações adormecidas retornam como vulcão...

Perfeição!!!


quarta-feira, 22 de abril de 2009

Lembrança

E agora lembrei,
porque havia desistido...

O tempo passou
e o coração já estava
quase traindo a razão...

Não precisou muito
para que tudo retornasse
e, então, a cicatriz ficasse
outra vez visível...

A desistência nada mais é
que proteção...

sábado, 18 de abril de 2009

(IN)CERTEZAS EXISTENCIAIS

As certezas não são mais tão certas,
as dúvidas se agigantaram,
a autossuficiência fragilizou-se
e, o que era dispensável,
tornou-se necessário...

E agora, o que sou?

sexta-feira, 17 de abril de 2009

INSONE

A madrugada era alta quando o sono se foi...

Olhos abertos, cérebro ligado...

Pensamentos, palavras, idéias, discussões interiores...

Pra onde foram todas as certezas, se as dúvidas insistem em ficar???

terça-feira, 14 de abril de 2009

Volta à rotina...

Acabou a folga, o feriado se foi...

restou um sabor amargo...

Contraditório, mas real...

Algo perturba mais do que deveria...

Penso coisas que não queria pensar...

Digo outras que deveria calar...

E, mesmo assim, o amargo permanece......

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Feriado.......

Então, foi quinta feira de pouco trabalho...

Depois sexta totalmente em casa...

É FERIADO!!!!

Que maravilha!!! Esquecer o relógio, a pressa, a preguiça de ir, vir, fazer... ter tempo pra ser...

Nesses dias de folga, serei mãe, mulher, gente... com direito a preguiça, tédio, vaidade, festa...

Danem-se os compromissos chatos, as obrigações, os deveres e tudo o que não for do meu agrado... quero curtir o primeiro feriado do ano (ao menos pra mim é o primeiro!) sem pensar no que me espera na volta.... Quero ser feliz e curtir a vida...

Ah... é Páscoa!!!

Páscoa é VIDA!!!

Então, terei VIDA FELIZ por todo o FERIADO!!!

Feliz VIDA FELIZ!!!

domingo, 5 de abril de 2009

O retorno do EU

Era noite de sexta-feira. O cansaço era normal para uma semana que chegava ao fim.
Entrei em casa e encontrei o silêncio e a solidão... Que sensação fantástica!!!

Noutras épocas talvez reclamasse, mas agora ela é totalmente oportuna.
Então, encontrei a mim mesma... ideias, pensamentos, possibilidades, oportunidades...
Fiz coisas que há muito não conseguia: leitura... até onde o sono foi mais forte e fez com que os olhos se rendessem...

Novo dia chegou, acordei porque o sono estava vencido...
Era hora de pôr em prática os pensamentos da noite anterior: pesquisas, leituras, possíveis discussões...

Sinto a vida pulsando novamente, naquilo que mais prezo: a busca do saber. É o retorno do EU com todas as suas aspirações... Há perspectivas novamente!!!

terça-feira, 31 de março de 2009

Governo Yeda: a face da mentira

Mentira: O governo Yeda tem alardeado que conseguiu atingir o “déficit zero”, ou seja, o equilíbrio das contas do estado.
Verdade: O “déficit zero” se dá com o corte de recursos da saúde, segurança, educação, saneamento básico, entre outros. Na educação e na saúde, respectivamente, o governo não investe os 35% e os 12% do orçamento determinados pela Constituição Estadual: a previsão para 2009 é de 26% para a educação e 6% à saúde.
Mentira: O Governo Yeda mente ao afirmar que implantou no estado a hora atividade para os todos os professores, inclusive para os contratados.
Verdade: O decreto por ela emitido apenas cumpre o que as normas estaduais já determinavam. Neste caso, novamente não cumpre a lei do Piso, que determina 1/3 de horas atividade.
Mentira: Yeda mentiu à categoria quando encaminhou à Assembleia Legislativa uma proposta de piso salarial afirmando que cumpria a Lei do Piso Nacional.
Verdade: O Piso Salarial Profissional Nacional deve ser o básico da carreira e não o teto como pretendia a governadora.
Mentira: Yeda tenta iludir a sociedade ao afirmar que o pagamento da Lei Britto (Política Salarial) representa aumento de salários para os trabalhadores em educação.
Verdade: O pagamento da política salarial apenas atende o que os educa-dores ganharam na Justiça.
Mentira: A governadora afirma que seu governo tem valorizado os educadores.
Verdade: Assim como os servidores de outras categorias, os educadores sofrem com o maior arrocho salarial já praticado no estado. Sequer a reposição da inflação é garantida. O vencimento básico de um professor é de R$ 304,40 para uma jornada de 20 horas. Já o funcionário de escola é de R$ 272,80 para uma jornada de 40 horas.
Mentira: O governo Yeda diz que a falta de professores é pontual e não prejudica o ano letivo.
Verdade: A falta de professores tem prejudicado alunos desde o início da gestão. Já estamos no final de março e os estudantes continuam sem professores em várias disciplinas. Enquanto isso, o concurso público é tema proibido no Palácio Piratini. Para suprir a falta destes profissionais, estudantes são amontoados em sala de aula (enturmação).
Mentira: O governo mente quando diz que está melhorando a educação pública oferecida aos filhos dos trabalhadores.
Verdade: O governo cortou 30% das verbas de custeio das escolas. Tem alunos estudando em contêineres, em salas de aula com paredes de com-pensado e em prédios com péssimas condições estruturais.
Mentira: O governo quer estabelecer uma base curricular única, com a alegação de uniformizar o conteúdo desenvolvido nas salas de aula.
Verdade: O governo desrespeita a autonomia das escolas, a gestão democrática e desconsidera a realidade social de cada comunidade, como tenta fazer com a Escola Itinerante.
Mentira: O governo anuncia a implantação da premiação por desempenho como uma proposta inovadora, a partir de uma lógica empresarial.
Verdade: A premiação por desempenho coloca um educador contra o outro e estabelece ilhas de excelência cercadas por uma ampla maioria de escolas precarizadas. O que o governo quer é acabar com as carreiras, discriminar os aposentados e prejudicar a educação.
Mentira: Para descontar os dias de greve dos educadores, o governo Yeda alega estar utilizando-se da mesma regra aplicada na iniciativa privada.
Verdade: Esta realidade não se aplica a quem recupera os dias parados. O governo Yeda comprou parte de sua base “aliada” para cometer mais uma injustiça contra os educadores, os servidores públicos e todas as comunidades que precisam destes serviços.

O CPERS/Sindicato continuará denunciando o processo de destruição do estado, cobrando do poder público medidas que garantam uma educação pública de qualidade.

Também exige que sejam esclarecidas todas as denúncias de corrupção que envolvem o governo do estado.
Apedido publicado em 27/03/2009, no Jornal Zero Hora, pelo CPERS/Sindicato

Professores de São Paulo preparam mobilização

A Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) realizou nesta sexta-feira (27), às 14 horas, na Praça da República, a primeira assembleia da categoria em 2009. Os professores aprovaram a pauta de reivindicações da campanha salarial, que tem data-base em 1º de março.
Os professores reivindicam reajuste de 27,5%; melhores condições de trabalho, com garantia de 33% da jornada para atividades extraclasse, máximo de 35 alunos no ensino médio, 30 no ensino fundamental e 25 no ciclo I; e estabilidade, com concurso público respeitando o tempo de serviço.
*Ato -* Após a assembleia, haverá um ato público unificado do funcionalismo, na Praça da Sé, para denunciar o sucateamento dos serviços públicos no Estado. Em algumas áreas, como na saúde, a terceirização dos serviços está a todo vapor e as privatizações avançam. Os servidores também reivindicam reajuste salarial.

sábado, 28 de março de 2009

Filha de FHC é funcionária fantasma do Senado!

Luciana Cardoso, filha do pavão misterioso e czar honorário do PSDB (Partido Só De Bacana) Fernando Henrique Cardoso, é funcionária fantasma do senador Heráclito Fortes. Leiam a entrevista que ela deu à Folha de S.Serra e vejam até que ponto do ridículo pode chegar uma pessoa...
Tal pai, tal filha, não?
Leia a entrevista da dondoca no blog do Esquerdopata. E não deixem de ler os comentários divertidos que ele fez às respostas dela.
Agora, imaginem o escândalo que fariam se ela fosse filha do Lula, por exemplo!Postado por

André Lux
Enviado por: www.turcoluis.blogspot.com

Filha FHC é funcionária do Senado "à distância", no gabinete de Heráclito Fortes
Da coluna de Mônica Bergamo (para assinantes):

Funcionária do Senado para cuidar "dos arquivos" do senador Heráclito Fortes (DEM-PI), Luciana Cardoso, filha do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, diz que prefere trabalhar em casa já que o Senado "é uma bagunça".
A coluna telefonou por três dias para o gabinete, mas não a encontrou. Na última tentativa, anteontem, a ligação foi transferida para a casa de Luciana, que ocupa o cargo de secretária parlamentar. Abaixo, um resumo da conversa:
FOLHA - Quais são suas atribuições no Senado?
LUCIANA CARDOSO - Eu cuido de umas coisas pessoais do senador. Coisas de campanha, organizar tudo para ele.Sei lá, mil coisas...
FOLHA - Em 2006, você estava organizando os arquivos dele.
LUCIANA - É, então, faz parte dessas coisas. Esse projeto não termina nunca. Enquanto uma pessoa dessa é política, é política. O arquivo é inacabável. É um serviço que eternamente continuará, a não ser que eu saia de lá.Precisa a repórter lembrar a ela. Ela não sabe direito. Se ela sair de lá o trabalho não será mais necessário?
FOLHA - Recebeu horas extras em janeiro, durante o recesso?
LUCIANA - Não sei te dizer se eu recebi em janeiro, se não recebi em janeiro. Normalmente, quando o gabinete recebe, eu recebo. Acho que o gabinete recebeu. Se o senador mandar, devolvo [o dinheiro]. Quem manda pra mim é o senador.Ela não sabe dizer se recebeu ou não. E você, leitor ou leitora, sabe dizer o que recebeu em janeiro?
FOLHA - E qual é o seu salário?
LUCIANA - Salário de secretária parlamentar, amor! Descobre aí. Sou uma pessoa como todo mundo. Por acaso, sou filha do meu pai, não é? Talvez só tenha o sobrenome errado.Eu não tenho problema nenhum em dizer quanto ganho, a srta. Cardoso tem. Por que será?
FOLHA - Cumpre horário?
LUCIANA - Trabalho mais em casa, na casa do senador. Como faço coisas particulares e aquele Senado é uma bagunça e o gabinete é mínimo, eu vou lá de vez em quando. Você já entrou no gabinete do senador? Cabe não, meu filho! É um trem mínimo e a bagunça, eterna. Trabalham lá milhões de pessoas. Mas se o senador ligar agora e falar "vem aqui", eu vou lá.Ela não sabe quanto ganha, trabalha em casa porque no gabinete "trabalham" milhões" de pessoas...
FOLHA - E o que ele te pediu nesta semana?
LUCIANA - "Cê" não acha que eu vou te contar o que eu tô fazendo pro senador! Pensa bem, que eu não nasci ontem! Preste bem atenção: se eu estou te dizendo que são coisas particulares, que eu nem faço lá porque não é pra ficar na boca de todo mundo, eu vou te contar?Além do salário ser sigiloso o trabalho, feito em casa, também é. Que gente estranha. Você tem algum problema em dizer o que faz?

quinta-feira, 26 de março de 2009

Estudantes Gaúchos pedem: FORA YEDA!

Ato realizado hoje em Santa Maria (Foto: Fritz Nunes)

Centenas de estudantes de escolas públicas e universidades de Porto Alegre devem reunir-se nesta quinta, 26, dia do aniversário de Porto Alegre, às 10h, na Praça Argentina. Os estudantes, que fazem parte do movimento intitulado “A volta dos Caras-Pintadas – Ella não pode continuar” vão exigir a saída de Yeda Crusius do governo do Estado. Conforme Rodolfo Mohr, um dos líderes do movimento e integrante do DCE da UFGRS, é necessário que os estudantes apresentem uma solução para a crise política do Estado.“Na nossa opinião, a solução é a saída da governadora”, afirmou. Para Juliano Medeiros, representante da UNE, além de exigir a saída da Yeda, o ato tem o objetivo de “denunciar a governadora e pedir apuração das denúncias de corrupção”. A expectativa dos organizadores é reunir cerca de mil manifestantes.
O movimento deve sair da praça em caminhada até o Palácio Piratini. Os estudantes pretendem entregar aos líderes do governo a “Carta à Sociedade Gaúcha”, assinada por mais de 20 entidades estudantis de todo o Estado, em que denunciam a política de desmonte da educação no Estado e o envolvimento do governo em casos de corrupção, pedindo o “Fora Yeda”. A carta havia sido apresentada ao presidente da Assembléia Legislativa, deputado Ivar Pavan, no dia 5 de março, quando foi lançado o movimento dos Caras-Pintadas.
O ato que acontece amanhã em Porto Alegre foi precedido por duas manifestações do movimento no Estado. Em Pelotas, cerca de mil estudantes e ativistas de movimentos sociais fizeram caminhada pelas principais ruas da cidade na manhã desta quarta. O ato encerrou em frente à 5ª Coordenadoria Regional de Educação, onde os manifestantes entregaram aos representantes do governo a carta à sociedade gaúcha. Para a tarde de hoje está prevista também manifestação em Santa Maria.
Estudantes tiveram audiência com OAB Na manhã desta quinta uma comitiva formada por quatro integrantes do movimento dos Caras-pintadas do RS foi recebida na sede da OAB pelo coordenador da Comissão de Direitos Humanos da Ordem, Ricardo Breier.
Os estudantes pediram a Breier que a OAB acompanhe a manifestação desta quinta e seus possíveis desdobramentos, para garantir a liberdade democrática e a integridade física dos participantes . “O movimento está sentindo na pele a repressão da Brigada, que não é mais exceção. A repressão tem sido uma constante: assim foi no ato dos estudantes contra o aumento das passagens, na greve dos bancários e nas manifestações do CPERS. O que a gente está vendo é a escassez das garantias democráticas no Estado”, afirmou Mohr durante a reunião.
Para Breier, o tema é inédito na Ordem. “A OAB atua quando é provocada, até agora não fizemos nenhuma ação preventiva, é um fato novo”. Ele afirmou que vai levar o tema para reunião interna da Comissão de Direitos Humanos, e garantiu que a Ordem estará atenta à mobilização. Participaram da reunião Rodolfo Mohr e Adrian Dallegrave, estudantes da UFRGS, Juliano Medeiros, diretor da UNE e Rafael Lemes, representando a Federação Nacional dos Estudantes de Direito, FENED.
Também ocorreu um ato "Fora Yeda" em Santa Maria nesta quarta-feira. O jornalista Fritz Nunes relata:
Cerca de 150 pessoas, em sua maioria estudantes e professores, participaram do ato de lançamento do Fórum Popular da Educação Pública Gaúcha, na praça Saldanha Marinho, centro de Santa Maria, no final da tarde desta quarta, 25. A atividade acabou se tornando um protesto contra o governo estadual. Dezenas de faixas e cartazes registraram em letras grandes o “Fora Yeda”. Pelo menos 15 entidades estavam representadas no protesto, conforme os organizadores. Entre essas, o 2º Núcleo do Centro dos Professores (CPERS), o DCE, a CUT, a Conlutas, o Movimento Nacional de Luta Pela Moradia e partidos de esquerda. Até os estudantes “cara-pintadas” reapareceram durante a manifestação no centro da cidade.
Postado por Marco Aurélio Weissheimer

domingo, 22 de março de 2009

Pesquisa DataFolha para o Governo RS/2010

O Instituto Datafolha realizou sua primeira pesquisa para avaliar as intenções de votos em cinco estados (São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina). Matéria de Graciliano Rocha, da Agência Folha, em Porto Alegre, trata do resultado da pesquisa no RS:
"A pouco mais de 18 meses das eleições, pesquisa Datafolha realizada no Rio Grande do Sul mostra que a governadora Yeda Crusius (PSDB) está em terceiro lugar na disputa, atrás do ministro da Justiça, Tarso Genro (PT), e do prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB). Nos quatro cenários pesquisados pelo Datafolha, os prováveis candidatos do PT e do PMDB -partidos que antecederam o PSDB no governo gaúcho- se revezam na dianteira das intenções de votos. Yeda aparece em terceiro, com percentuais que oscilam de 8% a 9% das intenções de votos.
A tucana, primeira mulher eleita como governadora no Estado, enfrenta uma crise política alimentada por denúncias de corrupção contra ela e integrantes de seu governo desde novembro de 2007, quando a Polícia Federal prendeu 13 pessoas suspeitas de participar de uma fraude que desviou R$ 44 milhões do Detran gaúcho. "A regra ultimamente é o governador sair na frente. A posição de Yeda certamente é reflexo do noticiário negativo", afirma Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha.
No primeiro cenário, Tarso aparece com 30%, seguido por Fogaça, com 27%. Trata-se de um empate técnico. Yeda aparece com 9%, o deputado federal Beto Albuquerque (PSB) tem 6%, o vice-governador Paulo Feijó (DEM) alcança 2% e o vereador Pedro Ruas (PSOL) foi o escolhido por 1%. Fogaça aparece em vantagem, com 30%, quando a opção do PT é o ex-governador Olívio Dutra, que soma 24%. Na simulação, os percentuais de Yeda e Beto Albuquerque se mantêm.
No cenário de disputa mais acirrada, Tarso atinge 33% de preferência nos municípios da região metropolitana de Porto Alegre, onde o PT conquistou a hegemonia nas últimas eleições. Na capital, tem 28%. Já o percentual de intenção de voto em Fogaça varia menos: na capital tem 26%; no interior, 27%. A governadora Yeda Crusius tem o seu melhor desempenho fora da capital e da região metropolitana, chega a 10% no interior. A ligeira vantagem do ministro da Justiça sobre o prefeito de Porto Alegre se dá fundamentalmente entre os eleitores que ganham até cinco salários mínimos. Neste estrato, o petista tem 30% contra 26% do peemedebista. Nos outros dois cenários, quando o possível candidato do PMDB é o também ex-governador Germano Rigotto, a vantagem dos petistas aumenta. Tarso alcança 32%, 14 pontos à frente de Rigotto (18%).
Com os dois ex-governadores na disputa, Olívio Dutra tem 27%, contra 20% de Rigotto. Nas quatro simulações feitas pelo Datafolha, varia de 11% a 13% o total de eleitores que declaram intenção de votar em branco ou anular o voto. Com um quadro indefinido sobre os prováveis concorrentes ao governo, nenhum deles se destaca na pesquisa espontânea, levantamento em que o entrevistado cita o nome de sua preferência sem que lhe sejam apresentadas opções. Na espontânea, dois em cada três eleitores consultados (67%) afirmam não saber em quem votarão nas eleições para governador em 2010".
Postado por Marco Aurélio Weissheimer - www.rsurgente.net

sábado, 21 de março de 2009

Diretório Central do CPERS visita a cidade (Bagé)

Foto: Francisco Rodrigues - Jornal Minuano EUNICE, ANA LÚCIA E ORLANDO: mobilizam categoria


Desde o início do mês membros do Centro de Professores do Estado do Rio Grande do Sul estão visitando os núcleos dos sindicatos...

... e algumas escolas com o objetivo de mobilizar a categoria e auxiliá-las em questões específicas. Ontem, foi a vez do 17ª núcleo do Cpers receber um de seus diretores.
Orlando Marcelino da Silva Filho, membro do Diretório Central do Cpers/Sindicato, contou que uma das principais finalidades das visitas é mobilizar a categoria para as assembléias e atos públicos desenvolvidos pela entidade. Segundo ele, as atividades serviriam para manifestar o descontentamento do sindicato em relação ao atual governo do Estado.
Conforme Orlando da Silva Filho, o primeiro passo é mobilizar a classe para o ato unificado das centrais sindicais e movimentos sociais “Contra a crise e pelo fora Yeda”, que acontece dia 30 de março. Além disso, ele ainda divulga as datas e locais das assembléias e atos públicos que estão previstos para acontecer durante o mês de abril.
Governo******
Em relação à nota enviada à imprensa ontem, na qual a Secretaria de Educação do Estado esclarecia que os professores não podem justificar ausência no trabalho por razões relativas à greve, além de explicar que as propostas para mudanças no Plano de Carreira do Magistério Estadual ainda estariam em debate com diferentes segmentos da sociedade, Orlando Filho e a presidente do 17° núcleo do Cpers, Ana Lúcia Cabral, alegam tratar-se de inverdades.
Com várias cópias de entrevistas concedidas pela secretária para jornais de circulação estadual, o membro do Diretório Central do Cpers/Sindicato analisa que a nota publicada ontem é contraditória. Segundo ele, a questão relativa à defesa do plano de carreira vem sendo divulgada amplamente por Marisa Abreu, tanto em entrevistas quanto nas assembléias. “E ela também não está discutindo com a sociedade, porque ainda não falou com o Cpers, que é um dos maiores interessados no assunto”, observou.
Escola Mário Suñe**************
Orlando Filho, que veio a Bagé acompanhado da integrante do Cpers de Caçapava do Sul, Eunice Couto, avaliou os impasses referentes à Escola Mário Olivé Suñe. Para ele, a mobilização da comunidade é vista como vitoriosa. “Porque o Estado tem deixado a desejar. E nós estamos atentos ao que está acontecendo para defender essa escola”, finalizaram.

O déficit zero ou a vida

Não pode haver um só gaúcho que considere o equilíbrio das contas públicas do Estado como uma coisa negativa. Mas não pode haver um só gaúcho que considere positivo o Estado soltar três acusados de homicídio porque o setor que administra o sistema carcerário não conseguiu meios de encaminhá-los para audiências judiciais. O que uma coisa tem a ver com outra? Tudo, conforme se verá a partir dos fatos ocorridos no Vale do Sinos na semana passada.
A Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), a quem compete o transporte de presos, deveria ter levado três homens acusados de assassinato que estavam no Presídio de Novo Hamburgo, para prestar depoimentos no Fórum da cidade. Mas na hora das audiências, nenhum preso apareceu. No presídio, nenhum registro de fuga ou motim. A justificativa para o não comparecimentos dos homicidas foi de que a Susepe não os encaminhou ao Fórum porque não tinha viatura para transportá-los.
Diante da situação estapafúrdia, não restou alternativa ao juiz da Vara do Júri, André Vorraber Costa, que determinou a soltura dos acusados. É a lei. "Ninguém pode ficar preso por tempo superior ao que deveria, ou continuar detido porque o Estado não fez seu processo tramitar num tempo razoável", lembrou o magistrado.
É precisamente aí que reside a relação entre o propalado déficit zero de Yeda e a insegurança da população gaúcha. Para entender melhor: em 2007, o governo tucano anunciou que o Orçamento do Estado para 2008 seria, pela primeira vez, realista. Para a Segurança Pública, Yeda previa um investimento de R$ 198 milhões. Era pouco mas, afinal, era realista. 2008 terminou e tudo o que o Estado investiu em Segurança não chegou a 10% do previsto, ou seja, pouco mais de R$ 17 milhões (e a maior parte do dinheiro ainda veio do governo Lula).
Com tão pouco investimento, a Polícia Civil, a Brigada Militar, o Instituto Geral de Perícias e Susepe chegaram ao final do ano completamente sucateados. Resultado prático: o Estado bateu recorde de assassinatos (1.641 gaúchos mortos violentamente), milhares de policiais ficaram sem coletas à prova de balas, faltaram revólveres e pistolas, as delegacias caíram aos pedaços (em Santa Maria, 17 funcionários da DP contraíram leptospirose) e faltou até material de expediente como canetas e papel. Salários? Continuaram entre os mais baixos do país (a média salarial do Estado é a 24ª mais baixa do Brasil).
A situação chegou a tal ponto que delegados, inspetores, investigadores, soldados, capitães, majores e até coronéis juntaram-se num movimento de protesto inédito anunciando o caos na segurança. E ele veio da forma mais cruel: três suspeitos de assassinato ganharam às ruas porque a Susepe, que não tinha viaturas, não conseguiu levá-los ao Fórum que fica a poucas quadras do presídio.
A síntese parece estar na frase de um delegado de polícia que prefere não se identificar: "É a isso que chamamos custo social do déficit zero. Que sirva de lição. Sempre que alguém do governo vier se gabar do déficit zero, devemos perguntar: e os homicidas, continuam por aí, matando gente?" (Maneco)
Postado por Marco Aurélio Weissheimer www.rsurgente.net

segunda-feira, 16 de março de 2009

Saiu na Isto É do último fim de semana

Depois da revista Carta Capital, que na semana passada, com direito a chamada de capa, destacou as denúncias contra o governo Yeda na reportagem Yeda em Xeque, agora foi a vez da revista IstoÉ abordar as denúncias contra a tucana na reportagem Cercada por todos os lados (18 de março de 2009, nº 2053, páginas 48 e 49). Em duas páginas, IstoÉ destaca a corrupção no Detran, a misteriosa morte do ex-representante do Piratini em Brasília, Marcelo Cavalcante, e as denúncias feitas por estudantes e entidades sindicais. Veja, a seguir, a reportagem.

Um suicídio e a delação premiada de um lobista colocam a governadora gaúcha como alvo de procuradores e estudantesQuando ganhou a eleição de maneira surpreendente, rompendo com 11 anos de alternância entre o PT e o PMDB no Palácio Piratini, Yeda Crusius parecia ser uma novidade para os gaúchos: paulista, tucana e mulher, ela prometia renovar a polarizada política do Rio Grande do Sul. Em três anos, saneou as finanças do Estado, mas um escândalo de corrupção no Detran local colocou seu projeto de ser a terceira via numa contramão macabra.
No dia 17 de fevereiro, um Toyota Corolla amanheceu vazio sobre a ponte Juscelino Kubitschek em Brasília. Ele pertencia a Marcelo Cavalcante, 41 anos, cujo corpo foi encontrado no dia seguinte, boiando no Lago Paranoá. Até julho do ano passado, ele comandava a representação do governo do Rio Grande do Sul em Brasília. Sua demissão foi uma tentativa de Yeda de se afastar do escândalo do Detran. Considerado testemunha- chave, ele tinha um depoimento marcado para 5 de março e pretendia negociar com o Ministério Público a delação premiada, dispositivo legal que permite a redução da futura pena em troca de informações privilegiadas.
Cinco dias antes de o carro ser encontrado sobre a ponte, Cavalcante havia desaparecido de casa, mas enviara mensagens à mulher, Magda Koenigkan. Dizia que "estava indo para outra vida". Abalada com a morte do marido, Magda diz que vai esperar a investigação. "Para mim está sendo muito difícil, pois colocaram como suicídio", afirma ela. "Estou passando por uma pressão violentíssima, há uma investigação grande da polícia."
"Ele estava sendo ameaçado", diz a deputada Luciana Genro (PSOL-RS). "A governadora esteve com ele uma semana antes de ele morrer." Por meio de sua assessoria, Yeda esclarece que seu antigo colaborador passou na representação do Estado para cumprimentá- la rapidamente junto com dois parlamentares, durante viagem que ela fez a Brasília. A polícia, por sua vez, apura informações de que Cavalcante teria se encontrado em Brasília, dias antes de sua morte, com o lobista Lair Ferst, que em 2006 ajudou a arrecadar recursos para a campanha de Yeda.
Ferst é o pivô da Operação Rodin, desencadeada pela Polícia Federal, sobre um esquema que desviou R$ 44 milhões de verbas do Detran entre maio de 2003 e novembro de 2007. "Havia o desvio de 40% do valor de cada contrato", afirma o procurador da República Enrico Rodrigues de Freitas, um dos seis integrantes da força-tarefa montada para investigar o caso. "Um efeito positivo da Operação Rodin foi que já deixaram de sair dos cofres públicos outros R$ 18 milhões para a fraude." São 40 os réus do processo decorrente da operação, entre eles Ferst. Três secretários do governo Yeda também perderam seus postos por conta do escândalo, mas nenhum deles aparece como réu.
O problema agora é que, segundo o PSOL, Ferst decidiu contar tudo. O advogado Pedro Ruas, vereador pelo PSOL de Porto Alegre, garantiu que teve "acesso, mas não a posse" das denúncias de Ferst à Justiça, sete delas respaldadas por gravações feitas pelo próprio lobista. As denúncias atingem a campanha do PSDB, que teria usado recursos não contabilizados, a gestão da governadora, que estaria distribuindo um "mensalinho" entre aliados, e até o patrimônio de Yeda. Em dezembro de 2006, ela comprou uma casa por R$ 750 mil. Segundo Ruas, o lobista garante que parte do pagamento foi feita com sobras do caixa 2 da campanha.
"Ferst também relatou que, já empossada, Yeda disse durante uma reunião que não se levantaria da cadeira para receber R$ 100 mil mensais do esquema do Detran, que era muito pouco", afirma o advogado. Além da governadora e de Ferst, outras duas pessoas teriam participado do encontro, que não foi gravado: Flávio Vaz Netto, então diretor do Detran, e Dorneu Maciel, do PP, antigo diretor-geral da Assembleia Legislativa. A governadora se nega a comentar as denúncias, ao contrário de seu vice. "Essas acusações não me surpreendem", diz o vice Paulo Feijó, do DEM, e rompido com Yeda desde o início do governo.
Os procuradores não negam, mas também nada acrescentam sobre a delação premiada de Ferst e as informações do PSOL. No ano passado, o partido entrou com um pedido de impeachment contra a governadora. Não teve apoios suficientes, mas os capítulos deste escândalo que parece não ter fim chegaram às ruas. Com os rostos pintados com as cores da bandeira do Estado, estudantes mandaram entregar a Yeda uma passagem de volta para São Paulo. A viagem foi marcada para o próximo dia 26, às 12h30, quando está previsto o encerramento de uma série de protestos em todo o Estado. Antes dos estudantes, dez sindicatos de servidores públicos espalharam 300 outdoors pelo Estado, com o rosto coberto, informando que apresentariam a "face das mazelas" no Rio Grande do Sul. Diante de recomendação do Ministério Público, em razão de indícios que caracterizariam crime contra a honra da governadora, deixaram de exibir a imagem da própria Yeda, como pretendiam.
Na semana passada, o PMDB estadual vazou a informação de que deve lançar candidato à sucessão de Yeda. Ao estilo peemedebista, contudo, continua com os cargos e mantém o apoio a uma governadora em apuros. Na quarta-feira 11, a governadora aproveitou um almoço com empresários para dizer que vai resistir. "Repudiamos qualquer tentativa de golpe que esteja prestes a acontecer", disse Yeda. "Eu não quero a guerra porque a guerra mata dos dois lados. Se ela vier, eu a enfrentarei sem armas, confiando nas instituições", completou. Para quem pretendia ser a terceira via, Yeda sofre agora com denúncias de corrupção e favorecimento pessoal, preconceitos regionalistas, rompimentos políticos e isolamento partidário.
Em volta dela, movimenta-se uma máquina que parece mais interessada em cozinhá-la em fogo brando do que esclarecer definitivamente os fatos. Seu vice, por exemplo, já alardeou possuir fitas do escândalo, que vieram a público apenas em pequenos fragmentos. O PSOL diz que viu gravações que o Ministério Público não apresenta. E o lobista, depois da delação premiada, saiu de cena. Cercada por todos os lados, a governadora faria melhor se recorresse à mais óbvia arma dos inocentes: a transparência. A não ser que...
Luiza Villaméa/Revista IstoÉ, de Porto Alegre (RS)

sexta-feira, 13 de março de 2009

OS VOTOS DO BEM

Não faltou disposição aos deputados que defenderam insistentemente a derrubada do veto. Muitas horas de discussão e defesa aos servidores estaduais e aos serviços públicos que o governo estadual busca destruir através de sua política nefasta, que retira direitos do povo para alardear o tal "déficit zero" inexistente.

Adão Villaverde - PT
Daniel Bordignon - PT
Dionilso Marcon - PT
Elvino Bohn Gass - PT
Fabiano Pereira - PT
Marisa Formolo - PT
Raul Pont - PT
Ronaldo Zulke - PT
Stela Farias - PT
Nelson Härter - PMDB
Adroaldo Loureiro - PDT
Gerson Burmann - PDT
Gilmar Sossella - PDT
Kalil Sehbe - PDT
Paulo Azeredo - PDT
Cassiá Carpes - PTB
José Sperotto - DEM
Marquinho Lang - DEM
Paulo Borges - DEM
Miki Breier - PSB
Raul Carrion - PCdoB

Aos apoiadores do povo, o nosso "muito obrigado"!

INIMIGOS DO POVO GAÚCHO

Na tarde de ontem (12), após três dias de discussão, foi votado o veto da governadora ao projeto que abonava as faltas dos servidores públicos que aderiram à greve no final de 2008. Apesar da atividade sindical e da defesa de vários deputados da oposição, o veto foi mantido com o voto dos INIMIGOS DO POVO GAÚCHO listados abaixo:

+Alberto Oliveira - PMDB
+Alceu Moreira - PMDB
+Alexandre Postal - PMDB
+Álvaro Boessio - PMDB
+Edson Brum - PMDB
+Gilberto Capoani - PMDB
+Luiz Fernando Záchia - PMDB
+Sandro Boka - PMDB
+Adolfo Brito - PP
+Francisco Appio - PP
+Frederico Antunes - PP
+Jerônimo Goergen - PP
+João Fischer - PP
+Marco Peixoto - PP
+Pedro Westphalen - PP
+Adilson Troca - PSDB
+Coffy Rodrigues - PSDB
+Jorge Gobbi - PSDB
+Nelson Marchezan Jr. - PSDB
+Paulo Brum - PSDB
+Pedro Pereira - PSDB
+Zilá Breitenbach - PSDB
+Abílio dos Santos - PTB
++Iradir Pietroski - PTB
+Carlos Gomes - PPS
+Luciano Azevedo - PPS
++Paulo Odone - PPS

A estes senhores daremos a resposta na eleição de 2010. Se a memória falhar, sempre haverá um trabalhador para lembrar quem são os inimigos do povo, afinal o seu voto prejudica a sociedade gaúcha, retirando-lhe o direito a serviços públicos de qualidade, iniciados com o devido respeito aos servidores públicos de carreira.

Ex-ouvidor denuncia escutas ilegais e chantagem no governo do RS

O ex-ouvidor da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Adão Paiani, denunciou na manhã desta sexta-feira o uso ilegal do sistema Guardião (utilizado pela secretaria para escutas telefônicas utilizadas judicialmente) para pressionar e chantagear políticos no Estado. O esquema teria sido articulado dentro da própria Secretaria de Segurança. Após um encontro com o chefe da Casa Civil, José Alberto Wenzel, o ex-ouvidor relatou que pelo menos duas pessoas foram alvo de espionagem. Paiani disse ainda que recebeu provas da espionagem ilegal logo depois do carnaval e que elas serão divulgadas no balanço de sua gestão.Ele se reunirá ainda hoje com representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para discutir o tema. “O Guardião hoje está sendo usado de forma totalmente indevida e ilegal. Isso as pessoas há muito tempo sabem, mesmo que neguem publicamente, mas têm medo ou não têm condições de provar isso, coisa que agora eu tenho”, declarou Paiani.

Postado por Marco Aurélio Weissheimer - www.rsurgente.net

Sexta feira 13




A governadora Yeda Crusius (PSDB) não teve tempo para comemorar a aprovação do corte de ponto de professores e policiais grevistas, ontem na Assembléia. O anúncio de que o ex-ouvidor da Segurança Pública, Adão Paiani, apresentará hoje, na sede da OAB, provas de escutas ilegais, que teriam sido feitas por membros da Secretaria de Segurança a pedido de integrantes da cúpula do governo, paralisa, mais uma vez o Palácio Piratini.Paiani foi demitido pelo Diário Oficial na última terça-feira. Conforme já publicamos aqui, o ouvidor teria recebido informações e documentos que o colocariam em rota de colisão com assessores muito próximos da governadora. A demissão de Paiani e o anúncio da extinção da Ouvidoria da Secretaria de Segurança Pública indicam mais uma vez que, o principal foco de ameaças ao governo do Estado está no próprio Palácio Piratini.

Postado por Marco Aurélio Weissheimer - http://www.rsurgente.net/

terça-feira, 10 de março de 2009

Um ser em evolução...



Sou um alguém que:
* a cada dia faz novas descobertas;
* evolui;
* cresce;
* encanta e desencanta-se...

Descobri com a vida que o passado não retorna e não adianta lutar contra o inexorável.

No entanto, aprendi a crescer em mim mesma e dar valor somente ao que é valioso.

Se o ontem não pode mais ser mudado, o amanhã é desconhecido, HOJE é o que tenho para viver, amar, ser e fazer felicidade.

Afinal, a maior busca humana é construída nos pequenos gestos, em momentos únicos.

E assim, continuo a evolução...

Não desejaria hoje ter 20 anos menos, porque embora naquela época houvesse o viço da juventude (a qual imaginava eterna), não havia a sabedoria atual - que somente a maturidade pode dar...



E, se o negócio é homenagear as mulheres um só dia no ano, agradeço. São meus os 365 dias em que mato inúmeros leões, apago incêndios variados e ainda encontro razões suficientes pra dizer que sou feliz...

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Yeda é uma ex-governadora em atividade

Hupper
“Com a licença da expressão criada pelo jornalista Paulo Cesar Vasconcellos e utilizada com brilho por Nelson Motta no Rio, Yeda Crusius é uma ex-governadora em atividade. As façanhas de Yeda são incomparáveis, ela bem poderia estar do livro dos recordes, tamanha ineficiência política (...) A ex-governadora em atividade está na rota de Cunha Lima (governador tucano cassado na Paraíba). Só ela ainda não se deu conta”.
Trecho do artigo “A Paraíba, quem diria, virou exemplo”, de Eduardo Tessler, jornalista e consultor de empresas de comunicação, publicado no Terra Magazine. Segue a íntegra:
A Paraíba, quem diria, virou exemplo
Aos olhares dos sulistas, quem nasce acima do Rio de Janeiro é Paraíba. Não importa de onde venha, do Ceará até a Bahia todo mundo é Paraíba. O apelido nada carinhoso é depreciativo e pouco tem a ver com os paraibanos de verdade e carteirinha, como Ariano Suassuna - é bem verdade que o escritor optou por viver em Recife, mas isso é outra história. Ser Paraíba, hoje, é quase uma ofensa.
Mas a Paraíba acaba de dar um exemplo de lisura política ao Brasil, ao conseguir afastar o governador Cassio Cunha Lima, acusado de distribuir cheques no valor de R$ 3,5 milhões disfarçados de programas assistenciais. Cunha Lima bem que tentou se manter no poder de todas as formas, mas o TSE foi enfático na cassação e entregou o cargo ao candidato derrotado em 2006, o ex-governador e ex-senador José Maranhão (aliás, o que faz alguém de nome Maranhão na Paraíba???). O novo governador assume com oito processos nas costas e talvez não consiga chegar ao fim do mandato, vai depender outra vez dos tribunais.
Cassio Cunha Lima, herdeiro de uma tradição política que domina a Paraíba há anos, parecia ser um cidadão acima de qualquer suspeita. Aos 45 anos, expoente do PSDB (de Fernando Henrique Cardoso, José Serra e outros tucanos), Cunha Lima naufragou. Agora precisa cumprir as regras de inelegibilidade.
Cerca de 4 mil quilômetros ao sul da Paraíba, outra expoente do mesmo PSDB tenta segurar-se de todas as formas nos corrimãos do Palácio Piratini. A economista Yeda Crusius, ex-ministra sem expressão de Itamar Franco e ex-deputada com algum brilho na década passada, lidera o mais instável governo da história do Rio Grande do Sul. Uma sucessão de escândalos, brigas, picuinhas, desvio de dinheiro e agora até morte misteriosa - a do ex-representante do escritório do RS do Distrito Federal, Marcelo Cavalcanti, encontrado morto no Lago Paranoá pouco antes do Carnaval. O executivo é citado nos autos dos processos de desvio de verba do Detran gaúcho.
Com a licença da expressão criada pelo jornalista Paulo Cesar Vasconcellos e utilizada com brilho por Nelson Motta no Rio, Yeda Crusius é uma ex-governadora em atividade. As façanhas de Yeda são incomparáveis, ela bem poderia estar do livro dos recordes, tamanha ineficiência política. Alguns exemplos:
- Depois de prometer em campanha não subir impostos, tentou aprovar antes de sua posse um projeto de aumento de ICMS, causando o primeiro incidente de governo. Três secretários escolhidos da sua base aliada renunciaram antes de assumirem as pastas;
- Ao completar 100 dias de governo, exonerou o secretário da segurança Enio Bacci, que começava a desmontar uma rede de corrupção entre o Jogo do Bicho e delegados de polícia. Yeda considerou-o "personalista" e no seu governo a ordem parece ser que ninguém brilha mais que ela própria;
- Rompeu com o vice-governador Paulo Feijó (DEM) ao tomar posse, mantendo-o longe da mesa de decisões do Palácio. Até que Feijó gravou uma conversa com um dos principais secretários de Yeda, Cesar Busatto, que tentava - a pedido da governadora - acertar algumas comissões para que Feijó ficasse calado;
- Comprou uma casa para uso próprio avaliada em R$ 1 milhão. Alegou ter pago pouco mais de R$ 500 mil, embora não tenha declarado fonte de renda para tanto. Até hoje ainda não há uma versão aceitável para tal matemática;
- Envolveu-se no escândalo do Detran, descoberto pela Operação Rodin. Trata-se de um esquema de corrupção utilizando-se de fundações ligadas à Universidade de Santa Maria, onde cada envolvido saia com os bolsos cheios e a governadora fazia caixa para a campanha de reeleição;
Yeda Crusius pertence ao PSDB, como o governador cassado da Paraíba. A dignidade gaúcha aconselharia Yeda a renunciar, enquanto se investigam os inúmeros escândalos de seu governo. Yeda, nascida em São Paulo, prefere permanecer no Piratini. Semana passada, quando o PSOL encaminhou proposta de impeachment à Assembléia - logo apoiada pelo PT - Yeda preocupava-se em enfrentar o Cpers (Centro de Professores do Estado) e mais 10 sindicatos, descontentes com a falta de diálogo da governadora. Mais que isso, Porto Alegre amanheceu coberta com cartazes dizendo: "O PSOL exige: Fora Yeda". Menos de 24 horas depois, a palavra "Fora" era substituída por um adesivo do mesmo tamanho escrito "Fica".
Ou seja, se o marketing pessoal da governadora vai de mal a pior, sua estratégia pública parece ser ainda pior, ao querer ludibriar o cidadão, mesmo que para isso tenha que beirar o ridículo (ou alguém imagina que o PSOL coloque cartazes na rua pedindo a permanência de Yeda?).
A ex-governadora em atividade está na rota de Cunha Lima. Só ela ainda não se deu conta.
Postado por Marco Aurélio Weissheimer
Publicado em www.turcoluis.blogspot.com

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Escolas do MST são premiadas pela Unicef

Frei Pilato Pereira:

Se me perguntarem quantos prêmios a governadora do Estado recebeu pelo seu trabalho em favor da Educação, sinceramente, não saberia responder. Parece-me que ela, a Yeda Crusius, nunca fez nada de bom para a Educação ao ponto de ser premiada. Mas, quanto ao MST, a resposta é diferente. O Movimento dos Sem Terra, o MST, já recebeu vários prêmios por seu bom trabalho realizado na área de Educação. Vamos lembrar de, pelo menos, dois.
Em novembro de 1999 o MST recebeu o Prêmio Itaú-Unicef "Por uma Educação Básica no Campo" e em 1995 recebeu o prêmio "Por uma Escola de Qualidade no Campo". O MST, um movimento social que muito fez pela educação, acabou entrando em disputa pela questão da educação com uma governadora que nada de bom realizou nesta área. E, com o apoio de uma parcela do Ministério Público, a governadora Yeda venceu a batalha. E os perdedores, nesta batalha, são crianças, cujos pais não tiveram acesso a terra. E agora o poder público nega para seus filhos o direito à educação.
No jornal Correio do Brasil e no blog Olhar Ecológico, do frei Pilato. Via Maria Frô.
Recapitulando as últimas catástrofes e incertezas do governo Yeda, de maneira breve:
Yeda está envolvida na destruição de um projeto educacional premiado pela Unicef.
Yeda persegue na justiça professores que apenas repetiram em outdoors o que seus aliados disseram sobre ela. .
Yeda ouve as declarações do PSOL sobre corrupção no seu governo; o PSOL diz ter provas na manga; o governo Yeda não pede que sejam mostradas, prefere o silêncio.
Por que o governo Yeda não pede para o PSOL mostrar os vídeos que viu? Por que não toma, contra o PSOL, a mesma atitude que tomou contra os professores? O quadro fica parecendo esse pintado pelo Marco Weissheimer: "É simples assim. Se não existem [as provas, os vídeos], os denunciantes [o PSOL] são uns desvairados. Se existem, quem é acusado [o governo Yeda], pode pensar duas vezes antes de pedir a apresentação das mesmas. O pedido pode ser atendido."

créditos: César

Experiência exemplar é liquidada no RS

Uma experiência educacional de 12 anos e que serviu de exemplo para outros Estados pode ser encerrada no Rio Grande do Sul. O Ministério Público gaúcho e a Secretaria Estadual de Educação (SEC) assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que determina o fechamento das escolas em sete acampamentos sem-terra. A informação é da Agência Chasque, através da repórter Raquel Casiraghi.O TAC prevê que até o dia 4 de março devem ser desativadas as turmas de educação infantil, ensino fundamental e de Educação de Jovens e Adultos (EJA). As crianças devem ser matriculadas na rede pública e ter transporte escolar. Caso não seja cumprido, o governo do Estado será multado em um salário mínimo por dia de atraso.
O Procurador de Justiça e integrante do Conselho Superior do Ministério Público, Gilberto Thums, argumenta que o objetivo do acordo é garantir que as crianças sem-terra tenham o mesmo ensino da rede pública, o que não estaria acontecendo.“A gente tem um nicho de professores que são escolhidos a dedo pelo Instituto Preservar, que são afinados ideologicamente com idéias extremistas. Isso provoca um ensino completamente fora dos padrões que o Estado tem que garantir. A idéia é que tenhamos um ensino com pluralidade de idéias e inclusão social“, diz Thums.
O procurador lista uma série de irregularidades. Entre elas, a infra-estrutura das escolas é precária e o poder público não estaria conseguindo fiscalizar o conteúdo programático e nem a carga horária. Thums ainda alega que o convênio entre o Instituto Preservar e o governo é ilegal, pois repassa a uma organização não-governamental o dever da educação que é do Estado.
No entanto, a coordenadora pedagógica das escolas itinerantes, Marli Zimermann de Moraes, contesta as críticas do Ministério Público. Ela garante o cumprimento do conteúdo programático e diz que a falta de infra-estrutura reflete o sucateamento promovido pelo governo. Educadores estão com salários atrasados desde julho passado e escolas não recebem material pedagógico. Além disso, o convênio permite a contratação de apenas 13 educadores e de uma merendeira por escola para cuidar de 400 crianças.
No entanto, o principal motivo para o fechamento, denuncia Marli, é tentar enfraquecer o Movimento Sem-Terra (MST).“Acabar com as escolas itinerantes é impedir que as famílias lutem pela terra. Porque quem vai para a luta é só quem não tem filho. Em cinco dias que a criança não vai para a escola, o Conselho Tutelar é chamado e o pai pode ir preso. A itinerante tem a especificidade de acompanhar o acampamento”, argumenta.
O fechamento das escolas itinerantes é um dos desdobramentos das Ações Civis Públicas encaminhadas pelo Ministério Público no ano passado. Nas ações, promotores determinaram medidas para conter ações do MST e até mesmo chegaram a propor a extinção do movimento, o que depois foi negado.
As escolas itinerantes foram reconhecidas no Estado pelo Conselho Estadual de Educação em 1996. Baseados nesta experiência, outros Estados adotaram o sistema, entre eles Santa Catarina, Paraná, Piauí, Alagoas e Goiás............
Sem exagerar, temos repetido aqui que o Estado regride a olhos vistos, com o governo esquizo-tucano e a sua influência deletéria que alaga o pensamento conservador do RS.
O governo Yeda está fechando escolas no Estado. Motivo: intolerância política, espírito macabro de destruição e tentativa de eliminação do que lhe é antagônico.
Sem nada para apresentar de positividade, o páthos yedista resume-se a destruir conquistas e direitos sociais de setores que lutam pela afirmação política e autonomia cidadã.
Que o Brasil saiba: o Rio Grande do Sul está cada vez mais irreconhecível, retrocede a um estado de natureza e anomia social, como aquele que havia antes da Constituição castilhista de 1891.
Bem-vindos ao século 19!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Yeda Crusius está imersa nas trevas

Katarina Peixoto escreve: "A governadora do estado do Rio Grande do Sul vive nas trevas. É difícil não se constranger com um simples cumprimento que ela tenta comunicar, tamanha incapacidade de dizer alguma coisa a respeito de algo que não seja ela mesma. E ela mesma não consegue nem dar bom dia com clareza. No emaranhado de uma espécie bizarra de egotrip, ela consegue dizer alguma verdade, porém. Um escritor já disse certa feita que o louco perde tudo, menos a razão. E a razão, mesmo nas trevas, impõe-se, contra a governadora. Isto é, contra as trevas.
Imagine que alguém na rua pára e diz: “Bom dia! E que lindo dia, o primeiro sem horário de verão deste ano. Amo o horário de verão, o dia mais longo, a noite mais curta, o calor. Amo tanta coisa...Acordei com a garganta meio ‘pegada’, o corpo me indicando que ainda não consegui ‘pegar leve’”. Ou, que abra uma carta onde esse conjunto de frases estão dispostas assim, simplesmente, numa espécie de denúncia do próprio estado mental. Um adolescente que tenha estudado a regra básica para qualquer discurso, que é o Princípio de Não-Contradição teria entendido o quê, diante desse conjunto de enunciados calamitosamente reunidos?
A única coisa verdadeira é o que diz como que “por acidente”: a governadora não consegue “pegar leve”, isto é, não consegue descansar. Nas trevas não deve haver descanso, mesmo. Quando dizer bom dia se torna um fardo para o entendimento, a “garganta” sofre. Vai ver é isso.
E então, como se respondendo a uma pergunta imaginada, presta um depoimento a respeito da iniciativa de ser governadora do estado. Depoimento em que associa motivações a reações, como se as manifestações críticas ao seu governo fossem ataques a uma idéia ou a um projeto, abstratamente. Aliás, não deixa de ser sintomática a descrição do “projeto” de governo por ela reiterado: “Como você tanto acompanha, o projeto tem cara sim, é bonito, coletivo, construtivo, respeitoso, doador”.
Mais uma vez, a razão cobra seu preço: só mesmo a inversão completa do significado de um governo pode tornar inaceitável que seja atacado. Quando o que é racional está escondido num universo de trevas e confusão, coisas mais fundamentais estão em falta. A vergonha, por exemplo. O Estado é o que não se definiu ao nascer, nas palavras de Yeda, e o povo é o que ela ama, não o que odeia, ela que é "meio caudilha", como fosse esse perfil algo virtuoso.
É diante desse universalismo todo que cartazes de sindicatos dos servidores públicos estaduais se tornam dantescos. Quando se está nas trevas, só se pode contar com o dantesco, diz a razão obnubilada pelo governo da governadora.
Um mandatário fazer-se de vítima de manifestações políticas e usar a própria família para tanto não pode ser levado a sério. Ainda mais quando essa utilização serve para priorizar, sobre gente da família e servidores públicos, isto é, serviços públicos investidos em cidadãos habilitados via concurso, idéias. Ou melhor: “intensa necessidade de comunicação, pela vida como ela é para cada um, por fazer política, que é bom fazer quando se tem ética, responsabilidade, sem medo da mudança, de estar à frente do batalhão, porque confio em cada dia, e vivo sem ficar na janela vendo a banda passar esperando a sorte, esperando a morte... como diz a música”. Que constrangimento deve ser ler isto tudo, para alguém que tem seriedade e faz parte deste governo ou desta gestão no estado. Não é possível que esse discurso venha de alguém que é arrolada como testemunha de Flávio Vaz Neto. Não é razoável tamanho desprezo pela realidade. Trevas.
Depois a governadora informa que já tem provas, dadas pelo MP estadual, de que pode morar onde mora. Agora que, rastreados todos os cheques, “a casa é limpa!”. Assim sendo, cabe perguntar: por que será que foi preciso o MP informasse que ela podia morar onde está morando, tendo comprado uma casa depois da eleição? Será que é só porque o governo é lindo, bonito, coletivo e doador?
Como a realidade está lá fora das trevas mentais da governadora, ela finalmente assume sua vida – e mandato – como fosse um filme. Um, não, dois, vividos, nas palavras da governadora, “mesmo com o alucinante caráter deste nosso governo”. Injuriando dois bons filmes, Yeda os usa para se pôr em respectivos papéis de vítimas que supostamente seriam correlatos do seu filme pessoal ou governamental – a distinção não foi precisada.
A injúria ao O Escafandro e a Borboleta é mais grave e ardilosa. Não apenas porque também ali a governadora se põe num papel de vítima do destino – o personagem do filme sofre um derrame. O caráter ardiloso, não necessariamente alucinante da comparação, vem diante do fato que teria posto a governadora no “escafandro”: a “famigerada Operação Rodin”.
Nenhum derrame cerebral torna uma investigação da Polícia Federal famigerada. E não é preciso derreter o cérebro para tomar polícia como adversário. É preciso ser criminoso, e convicto.
Com efeito, só muito republicanismo, austeridade, universalismo e espírito público, afinal de contas, pode se referir no cinema a fim de dizer coisa tão fina e elegante como: “ Mas não desisto, não vou entregar prus ôme de jeito nenhum, amigo e cumpanhêro".
Uma palavra, ainda, sobre a enganação da carta ser pública e não privada, e publicada: Insulto. A única coisa verdadeira que se diz, mais uma vez, como que “por acidente”, não vascular cerebral. Um acidente investigativo, famigerado. Constrangedor".
Créditos: Marco Aurélio Weissheimer
Publicado em www.turcoluis.blogspot.com