Seguidores

sábado, 6 de junho de 2009

ESTAÇÕES

Primeiro veio o frio,
- e umas esperanças quentes -;
depois, a chuva;
finalmente, o inverno chegou.

O sol retornou - sem a função de aquecer -
com a temperatura baixa,
o vento castiga pele, cabelos
e não deixa ilusões...

Entretanto, o coração descansa em paz,
igual ao céu azul e limpo dessas tardes iluminadas...
Não há angústia, nem tristeza,
também nenhum afago ou alegria.

Sei que está ali, batendo, vibrando,
aguardando um momento,
mas está quieto...
É ótimo senti-lo vivo,
mas sua brandura não é ruim...

Mantenha-se sereno, my heart,
mesmo que às vésperas
desta data nostálgica para os ímpares...

Estamos sós, o coração e eu, esperando
docemente nossa sonhada companhia...
O amor deve ser calmo e elegante
por ser nobre...
Pois, não existe pressa
quando o sentimento é vivo...

Um comentário:

Clayton José de F. Mendonça disse...

Magnífico! devo lhe aplaudir de pé,,,

A sombra esconde a luz que atravessa meu coração, punhos firmes diante da mesma brisa que persegue minha solitária jornada, buscarei uma fonte de calor confiável, o vidro de meus olhos ainda estão trincados de decepções, mas devo lhe dizer que entendi suas palavras tiradas de seu nobre coração.

Spaciba!!